Buscar
  • Jefferson Negreiros

O que você precisa saber sobre Obesidade!

Atualizado: 22 de Nov de 2018

Saiba aqui o que é a Obesidade, suas causas e tratamentos. O que é Cirurgia Bariátrica e seus benefícios.


A obesidade vem crescendo gradativamente nos últimos anos, segunda a OMS (Organização Mundial da Saúde) esses dados são do mundo todo e divulgou em 2008 mais de 200 milhões de homens e 300 milhões de mulheres estavam obesos. Além desses levantamentos, 65% da população que sofrem com o sobrepeso e obesidade possuem o risco de vida em detrimento dos que tem peso muito abaixo do normal e desnutrição.


O que é comorbidades?

Em decorrência da obesidade, surgem outros tipos de doenças como hipertensão arterial, infarto agudo do miocárdio, taxas elevadas de gordura no sangue, diabetes entre outras, provocando riscos gerais à saúde.

 O elevado número de obesos mundialmente, começaram a levantar grandes preocupações nas autoridades fazendo com que fossem exigidos dos profissionais grandes esforços desde o médico até as equipes multidisciplinares para encontrar alternativas para o manejo adequado dessa doença. Pensando nisto, entra neste cenário a Cirurgia Bariátrica, no intuito de auxiliar no controle dessa doença, oferecendo grandes ganhos desde a redução de peso significativo e prolongados até a redução de comorbidades associadas. 


Segundo Flores, 2014: 

 No Brasil, o número de cirurgias bariátricas praticamente quadriplicou, aumentando de 16.000 em 2003, para 60.000 em 2010. Para que uma pessoa possa ser considerada candidata à cirurgia bariátrica, é necessário que seu índice de massa corporal (IMC) seja maior do que 40 kg/m², ou esteja acima de 35 kg/m² com comorbidades associadas à obesidade (diabete tipo II, apneia do sono, hipertensão arterial, dislipidemia, doença coronariana, osteoartrites e outras). Além disso, é necessário ter havido tratamento clínico prévio insatisfatório, por pelo menos dois anos.


O que é IMC ?

(Índice de Massa Corporal), segundo a ABESO (Associação Brasileira para Estudos da Obesidade e da Síndrome Metabólica, o IMC  baseia-se pelos padrões internacionais desenvolvidos para pessoas adultas descendentes de europeus.

O IMC não distingue massa gordurosa de massa magra, embora seja um bom indicador.

A etiologia da Obesidade, ou seja, sua causa é muita abrangente, complexa e multifatorial, existem vários fatores desde genéticos, como o ambiente, estilo de vida e fatores emocionais. Estudos apontam que a maior taxa de obesidade ocorre em populações com maior grau de pobreza e menor nível educacional, mas como isso? Geralmente em populações mais pobres, as pessoas tendem a recorrer a alimentos mais baratos, ricos em açúcar e gordura e menos informações para ajudá-las na escolha correta na ingestão de alimentos saudáveis.


Outros fatores curiosos da Obesidade:

· Em várias fazes da vida como infância precoce e adolescência podem influenciar no ganho e peso;

· Maior ganho de peso após a menopausa, que está relacionada ao estilo de vida;

· Tabagismo: após o abandono do cigarro o indivíduo ganha de 5 a 6 quilos;

· O casamento pode influenciar no ganho de peso, principalmente em mulheres, quando se tem um estilo de vida onde se ingere muitas calorias e pouca redução de alimentos calóricos;

· E interromper atividades físicas


Quais são os tipos de tratamentos da obesidade?

A obesidade é uma doença crônica que se não vigiada constantemente pode haver novamente o ganho de peso, e é importante que tenham contato com equipe multiprofissional em longo prazo para auxiliarem no tratamento.

Para que aconteça de fato o sucesso, o indivíduo precisa estar sempre focado e em constante vigia dos seus hábitos, como a práticas de atividades físicas, ingestão de alimentos saudáveis, apoio social (as pessoas próximas precisam apoiar o indivíduo em todos os sentidos) e automonitoramento.

Os tratamentos são:


· Tratamentos Farmacológicos (Uso de medicações para ansiedade e diminuição de apetite);


· Tratamento Dietético (mais bem sucedido, quando aliado a aumento de gastos energéticos e a um programa de modificação comportamental, reeducação alimentar e controle de dieta);


· Terapia Cognitivo-Comportamental (Terapias psicológicas e técnicas a fim de analisar e modificar o comportamento disfuncional associado ao estilo de vida, planejar estratégias para auxiliar na perca de peso, reforçar motivação, diminuir recaídas e ganho de peso);


· Tratamentos heterodoxos e suplementos nutricionais (Acupuntura, Aromaterapia, Fitoterapia e os suplementos nutricionais como ervas e chás para emagrecimento);


· Tratamento Cirúrgico (Cirurgia Bariátrica)



Mas afinal o que é Cirurgia Bariátrica?

A cirurgia bariátrica melhora diversas condições e ações biológicas (mudanças hormonais) para reverter a progressão da obesidade. Estudos apontam que mais de 90% dos pacientes bariátricos são capazes de manter a perda de peso em longo prazo, com eliminação de 50% ou mais do excesso de peso corporal.



As técnicas de cirurgia bariátrica, como o bypass gástrico e a gastroplastia vertical (sleeve), podem mudar a anatomia do trato gastrointestinal, ou seja, do estômago e do sistema digestivo, ou causar diferentes alterações fisiológicas no corpo dos pacientes capazes de alterar o balanço energético e o metabolismo dos mesmos.

Independentemente de qual tipo de cirurgia bariátrica for escolhida é importante lembrar que o tratamento cirúrgico da obesidade é uma ferramenta. A perda de peso também depende de outros fatores importantes como a nutrição, o exercício físico e a mudança de comportamento.

Ao mudar a anatomia gastrointestinal, os procedimentos afetam a produção de hormônios intestinais de forma a reduzir a fome e o apetite, além de aumentar a sensação de saciedade. O resultado final é a redução do desejo de comer e a frequência da alimentação. Curiosamente as mudanças hormonais promovidas cirurgicamente são opostas às produzidas pela perda de peso dietética:


Mudanças hormonais da cirurgia bariátrica Melhoram a perda de peso ao manter ou aumentar o gasto energético (calorias queimadas). Na verdade, algumas cirurgias até aumentam o gasto energético em relação ao tamanho do peso. Desta forma, a perda de peso cirúrgica tem chance maior de durar por mais tempo, pois um balanço energético adequado é criado.


Mudanças hormonais dietéticas

Na perda de peso dietética o gasto energético é reduzido para níveis menores do que seriam previstos pela perda de peso e pela mudança na composição corporal. Esta mudança desequilibrada na energia pode levar, muitas vezes, ao reganho de peso.

A perda de peso motiva o paciente a praticar exercícios como nadar, caminhar, pedalar e outras atividades físicas e também está associada a diversas outras mudanças no corpo, que ajudam a reduzir os defeitos no metabolismo das gorduras.


A combinação entre redução de peso e exercícios melhora a capacidade corporal de queimar gordura, leva a uma atitude mais positiva e reduz o nível de estresse. Outra consequência é a redução de hormônios como a insulina (usada para regular o nível de açúcar) e o cortisol (hormônio do estresse). A captação e o armazenamento de gordura são reduzidos por esta combinação.


Com a maior perda de peso o paciente começa a praticar mais atividades físicas, como nadar, caminhar, pedalar e muito mais. Além disso, a combinação de redução de peso e exercícios melhora a capacidade do corpo em queimar gordura, leva a uma atitude positiva e reduz o nível de estresse. A perda de peso massiva causada pela cirurgia bariátrica também reduz hormônios como a insulina (usada para regular o nível de açúcar) e cortisol (hormônio do estresse). Também melhora outros fatores que reduzem a captação e o armazenamento de gordura em depósitos. A atividade física também é componente fundamental no combate à obesidade.


Por isso, a cirurgia bariátrica pode ser uma ferramenta útil para auxiliar pessoas obesas a quebrar o ciclo de ganho de peso e ajudar a perder peso, além de manter a perda em longo prazo e melhorar a qualidade de vida e saúde de forma geral.


Fonte: http://www.sbcbm.org.br/wordpress/entenda-melhor-como-a-cirurgia-bariatrica-funciona/


Mais acima vocês perceberam os riscos de estar obeso, portanto a Cirurgia Bariátrica (CB) é um recurso consistente nestes casos de obesidade grave com falha de tratamento clínico, promovendo melhoras de redução nos índices de mortalidade e melhora de comorbidades clínicas.



São indicadas 


As indicações preconizadas para realizar CB adotadas pelo Ministério da Saúde são válidas para adultos entre 18 e 65 anos. Pacientes mais idosos são mais suscetíveis a complicações e morte pelo procedimento, mas algumas séries de casos têm demonstrado bons resultados, (TEXTO EXTRAÍDO da ABESO 3º ed.


- Adultos com IMC ≥ 40 kg/m² sem comorbidades 

- Adultos com IMC ≥ 35 kg/m² com uma ou mais comorbidades associadas

- Resistência aos tratamentos conservadores realizados regularmente há pelo menos dois anos (dietoterapia, psicoterapia, tratamento farmacológico e atividade física 

- Motivação, aceitação e conhecimento sobre os riscos da cirurgia 

- Ausência de contraindicações


E são contraindicados em casos de:


- Causas endócrinas tratáveis de obesidade 

- Dependência de álcool ou drogas ilícitas 

- Doenças psquiátricas graves, sem controle 

- Risco anestésico e cirúrgico classificado como ASA-IV 

- Pacientes com dificuldade de compreender riscos, benefícios, resultados esperados, alternativas de tratamento e mudanças no estilo de vida requeridas com a CB.


Referência

http://www.abeso.org.br/pdf/diretrizes_brasileiras_obesidade_2009_2010_1.pdf

0 visualização